BMA inaugura exposição de livros infantis raros e programação para crianças, aos domingos

Instituto Cultural Galeria do Rock 30/05/2019


Com o nome de “Manhãs de Domingo na Mário”, atividade especial têm início no dia 2; Exposição “Livros para Crianças” é aberta no dia 4

No mês de junho, a Biblioteca Mário de Andrade (BMA) traz muitas novidades para as crianças. No dia 4, é inaugurada a exposição “Livros para Crianças”, que reúne obras do acervo de raridades da Biblioteca. E, a partir deste mês, em todas as manhãs de domingo, ocorrem apresentações de contação de histórias e peças teatrais.

A exposição traz livros de autoria de Olavo Bilac, Júlia Lopes de Almeida e Monteiro Lobato, e edições raras de clássicos como “Pinóquio” e “Alice no País das Maravilhas”. Traçando um panorama da história da literatura infantil, a mostra exibe ao todo 58 livros nacionais e estrangeiros, publicados entre o início dos séculos XVII e XX. O acervo destaca as duas correntes principais da literatura infantil ocidental: as fábulas de Esopo, Fedro e La Fontaine, e os contos de fadas dos irmãos Grimm, Perrault e Andersen.

Já a programação “Manhãs de Domingo na Mário” traz sempre uma brincadeira ou contação de história às 10h, seguida por uma peça de teatro. A primeira atividade é realizada no dia 2, com a “Mediação de Leitura para Pequenos”, com Nica, e o espetáculo “Pescadora de Ilusão”.

Serviço: | Biblioteca Mário de Andrade. R. da Consolação, 94, Consolação. Próximo da estação Anhangabaú do metrô. Centro. | tel. 3775-0002

Confira a programação completa:

Exposição: Livros para Crianças – literatura infantil no acervo de raridades da Mário.
Abertura: dia 4, 19h. De 5/6 a 28/7, das 9h às 19h.

Manhãs de Domingo na Mário – Mediação de Leitura para Pequenos, com Nica. A mediadora Nica apresenta contação de histórias e atividades de leitura.

| Dia 2, 10h – Pescadora de Ilusão

O texto do espetáculo foi inspirado no livro A mulher que matou os peixes (1968), de Clarice Lispector, no qual a escritora pede para ser perdoada por ter esquecido de dar comida aos peixinhos vermelhos de seus filhos, que por causa disso morreram. Para justificar seu pedido, Clarice garante que ama os animais e conta histórias muito divertidas sobre bichos de estimação que passaram por sua vida, como o cachorro Dilermando e a macaquinha Lisete. No enredo da peça, as atrizes Carol Badra e Badu Morais vivem as personagens EU e TU, duas atrizes que resolvem montar um espetáculo para pedir às crianças perdoarem Clarice por ter matado os peixes, assim como ela própria fez em seu livro.

| Dia 2, 11h – Descobrindo Nossos Tesouros: Da África para o Brasil, com educadoras do grupo Dúdú Badé – Em uma caça ao tesouro, as moedas de ouro são os mais diversos elementos pertencentes à cultura africana e afro-brasileira. Na apresentação, o grupo escava memórias, demarca territórios e compõe um baú de riquezas com conhecimento por meio de palavras, curiosidades, músicas e brincadeiras relacionadas a elementos na natureza (como ocorre na África). O pote de ouro, ao final do arco-íris, é representado pela diversidade da desmitificação cultural do continente africano.

| Dia 9, 10h – Pescadora de Ilusão

| Dia 9, 11h – Tecendo as Narrativas Ancestrais, com educadoras do grupo Dúdú Badé – Por meio da oralidade, a atividade brinca com os corpos e letras, criando uma história única sobre identidade negra.

| Dia 16, 10h – Pescadora de Ilusão

| Dia 16, 11h – Travessia pela Leitura e Suas Africanidades, com educadoras do grupo Dúdú Badé – A atividade propõe um passeio pelo continente africano e por grandes histórias afro-brasileiras com auxílio de livros que possam contribuir com o imaginário infantil. Esses recursos possibilitam compreender os trajetos utilizados pelos africanos para chegarem às terras brasileiras.

| Dia 23, 10h – Pescadora de Ilusão

| Dia 23, 11h – Omo Erê: Passeando pelas Áfricas no Brasil, com educadoras do grupo Dúdú Badé – Elementos naturais e da cultura africana e afro-brasileira enfeitaram o espaço, proporcionando diversos percursos pelo imaginário infantil. Desvendar, construir e envolver estimulando sentidos é o objetivo desse espaço.

| Dia 30, 10h – Pescadora de Ilusão

Maurício Coutinho
Jornalista MTb/SP 33.886