Iron Maiden ensandece mais de 65 mil presentes em São Paulo com show grandioso

Iron Maiden ensandece mais de 65 mil presentes em São Paulo com show grandioso

Música 09/10/2019

O Iron Maiden se apresentou no último domingo (06), no Estádio do Morumbi, em São Paulo. Com todos os ingressos vendidos, o grupo não só performou um show melhor do que o que havia feito no Rock in Rio, dois dias antes, como também o melhor já visto em nosso país. A abertura ficou por conta do metalcore do The Raven Age, grupo do filho de Steve Harris.

 

“Lutaremos nas praias” – foi uma das frases proferidas nos telões do Morumbi. O clássico discurso de Winston Churchill, gravado durante a Batalha da Grã-Bretanha, não só foi responsável pela introdução de “Aces High”, primeira faixa do repertório do Maiden, como também por dar início ao mais grandioso show que a donzela de ferro já performou em terras tupiniquins. “Where Eagles Dare”, do álbum “Piece Of Mind” (1983), fechou a dobradinha inicial, junto ao primeiro pedido de Bruce Dickinson para a plateia. “Scream for me São Paulo”, pediu o frontman, que foi prontamente atendido.

 

“Dois dias atrás, nós fizemos um pequeno show no Rio de Janeiro”, declarou Bruce enquanto recebia vaias do orgulhoso público paulistano. “E eles disseram que foi o melhor show que eles já viram no Rock in Rio”, continuou. Dessa vez, o público largou a rivalidade paulista-carioca e aplaudiu. “Mas hoje será diferente. Hoje não vai ser o melhor show do Rock in Rio. Hoje vai ser o melhor show do Brasil”, finalizou. Os mais de 65 mil presentes no Morumbi foram à loucura. E Bruce estava certo.

 

A turnê “Legacy Of The Beast” foge um pouco do padrão de excursões do grupo. Divulgando um jogo mobile de mesmo nome, e não um álbum, o repertório passa por todos os quase cinquenta anos de banda de forma mais do que grandiosa. Os cenários se alternam a todo momento, assim como o figurino de Bruce. São lança chamas, réplica de avião da Segunda Guerra Mundial, vitrais de igreja, anjo prateado, luta de espada e muito mais. Tudo meticulosamente calculado para que cada faixa seja uma experiência única.

 

Em “The Trooper”, logo após um soldado entregar a bandeira britânica para Bruce e bater continência para o vocalista, os fãs presenciam uma batalha travada entre o mascote Eddie e Dickinson. Já em “Sign Of The Cross”, teve um cemitério no palco, Bruce coberto por uma capa e carregando um enorme crucifixo que se iluminou no final da canção. “Fear Of The Dark”, um dos maiores clássicos do grupo, fez com que todo o estádio se iluminasse com luzes de celulares e “Flight Of Icarus”, que está sendo tocada pela primeira vez em 32 anos nessa turnê, emocionou os mais ardorosos fãs.

 

No auge de seus 61 anos e pouco tempo após se curar de um câncer na garganta, Bruce é um showman completo. O vocalista, que chega até mesmo a utilizar uma mochila lança chamas, não fica um segundo parado no palco, sempre correndo, pulando, fazendo caras e bocas e interagindo com a plateia e com seus companheiros de banda. Adrian Smith e Dave Murray são um show a parte com suas guitarras, assim como Janick Gers, que mais parece estar em um circo de tanto malabares que performa enquanto toca. Nicko McBrain, escondido em seu enorme set de bateria, toca com uma simplicidade e facilidade incrível e Steve Harris, o sempre despojado chefe, cavalga incansavelmente em suas cordas de baixo enquanto o aponta para os fãs, metralhando um por um.

 

O repertório em si foi exatamente o mesmo apresentado no Rock in Rio, na última sexta-feira (04), mas o espetáculo foi muito maior. A banda estava mais disposta e mais grandiosa, assim como o fôlego dos presentes. “O Iron Maiden vai pegar todos vocês”, disse Bruce antes do grupo se retirar do palco pela primeira vez. Já no encore, a trinca “The Evil That Men Do”, “Hallowed Be Thy Name” e “Run To The Hills” fechou o espetáculo. “Nós sempre voltaremos a São Paulo”, prometeu Bruce. “Até o dia em que estivermos mortos”, concluiu antes de se despedir.

 

No final das contas, Bruce estava certo. O Iron Maiden apresentou um dos mais grandiosos espetáculos que o nosso país teve a oportunidade de presenciar. Vida longa ao maior representante do heavy metal britânico e mundial.

 

Setlist:

Aces High

Where Eagles Dare

2 Minutes to Midnight

The Clansman

The Trooper

Revelations

For the Greater Good of God

The Wicker Man

Sign of the Cross

Flight of Icarus

Fear of the Dark

The Number of the Beast

Iron Maiden

The Evil That Men Do

Hallowed Be Thy Name

Run to the Hills

 

Por Matheus Augusto