Informe ao Público - COVID 19

Informe ao Público - COVID 19

Galeria do Rock 28/04/2020

     O Centro Comercial Grandes Galerias, nos últimos anos, enfrentou, assim como todo brasileiro, a maior crise econômica da história do Brasil. Isso gerou grandes dificuldades ao condomínio e a todos os lojistas que tem os seus negócios dentro da Galeria do Rock. Mas de forma virtuosa Galeria do Rock passou por esses anos mantendo-se sempre firme e forte no centro de São Paulo recebendo em média 10 mil pessoas por dia, sendo uma ilha de desenvolvimento, segurança e progresso no coração de um Centro de São Paulo que esta cada vez mais abandonado e com péssima zeladoria, ano após ano.

      A Galeria do Rock é formada em sua grande maioria por micro e pequenas empresas, negócios familiares que sustentam diversas famílias diretamente, essas empresas estão lá em média a 14 anos. Esses negócios são o resultado de uma vida de trabalho de centenas de pessoas, pessoas que trabalham com o que amam, gerando empregos e valorizando a cultura DO ROCK, da criatividade, do skate, da tatuagem, do silk screen, do hip-hop, e centenas de outras culturas.

      O ano de 2019 foi um ano de recuperação onde não tivemos grandes perdas e alguns meses tivemos até um aumento nas vendas. Isso fez com que muitos empresários conseguissem amortizar parte das dívidas que vinham carregando durante a crise dos últimos anos. Em função desse pequeno crescimento em 2019 houve a criação de cerca de 200 empregos temporários nos meses de novembro e dezembro para atender a demanda das vendas de Natal.

      Em fevereiro de 2020 aconteceu o Carnaval em São Paulo no Centro. Somos grandes apoiadores de eventos no centro de São Paulo, uma vez que eles sejam feitos de forma organizada e que toda comunidade local seja ouvida. As atividades do carnaval foram pessimamente planejadas fechando todas as vias de acesso a região central de São Paulo inclusive o transporte público foi transferido para outras regiões, o metrô teve várias entradas e saídas obstruídas dificultando o acesso ao público a centros comerciais importantes como Santa Efigênia, Galeria do Rock, Bom Retiro e 25 de Março. Muitos desses blocos estavam vazios o que não justificava fechar ruas e vias importantes do centro de São Paulo por mais de 12h em três sábados seguidos. Isso gerou às empresas instaladas na Galeria do Rock um prejuízo de cerca de 50%. Uma vez que 65% das vendas de uma loja na Galeria do Rock acontecem aos sábados. 

      Devido a Pandemia fechamos as portas no dia 20 de março de 2020 entendendo a necessidade de preservar vidas, nos adaptamos e já estávamos preparados para voltar a ativa no dia 15 de abril estimando receber 10% do volume de pessoas que recebíamos anteriormente para poder colocar comida no prato de todos os trabalhadores que dependem da Galeria do Rock. Até agora infelizmente não temos perspectiva alguma para reabertura, lembrando que a Galeria do Rock é um espaço totalmente aberto, arejado e com grande espaço no seus corredores, teremos o limite de no máximo duas pessoas por loja, utilização de máscaras obrigatórias para entrar na Galeria do Rock, teremos álcool gel nas portas de cada loja e nas entradas da Galeria do Rock disponível para os frequentadores.

      Um ponto importante, as micro e pequenas empresas em todo Brasil enfrentam uma grande dificuldade em obter crédito, no caso das empresas dentro da galeria isso não é diferente, por mais que todas elas tenham em média 14 anos de funcionamento e um histórico positivo não conseguimos crédito, isso fez acirrar ainda mais a dificuldade nesse mês de março, abril e maio que já se avizinha. Isso junto a Ausência de Planejamento da prefeitura de São Paulo e do governo do estado de São Paulo, que não nos dão a menor ideia de quando poderemos voltar a trabalhar, infelizmente por conta disso a maioria dos lojistas não puderam efetivar os empregos temporários gerados no mês de dezembro (fevereiro e março são os meses que os contratos temporários se encerram) e algumas empresas já sem caixa em função das perdas de vendas de fevereiro (carnaval mau planejado da prefeitura) alguns funcionários foram demitidos para que eles pudessem ter acesso ao seguro desemprego, garantindo assim uma renda ao longo desses meses de quarentena que, mais uma vez, não sabemos quando poderemos abrir novamente. Somado a isso a crise dos últimos anos que o país viveu estimamos cerca de 400 empregos perdidos nos últimos anos. 

      E por isso ao longo dos últimos meses empresas que tinham mais de uma loja na galeria ou uma loja de vendas e outro de estoque acabaram fechando uma unidade para reduzir custo, ou seja, dos mais de 200 cnpj’s ativos dentro da galeria do rock, nenhum até o momento foi encerrado, mas das 450 lojas ao menos 30 delas foram entregues nos últimos meses. 

      Entendemos a gravidade da Pandemia e todos os cuidados serão tomados e estamos torcendo para que tudo melhore para todos e  precisamos apenas saber quando seremos autorizados a voltar a trabalhar.


Centro Comercial Grandes Galerias 

(Galeria do Rock)