Música e empreendedorismo têm mais em comum do que você imagina

Música e empreendedorismo têm mais em comum do que você imagina

Galeria do Rock 06/05/2022

Por Antonio Montano

A música exerce diversos efeitos positivos em nosso corpo. A velocidade dos compassos, as vibrações e o ritmo atuam diretamente em nosso sistema nervoso central e alguns pesquisadores afirmam que cada pedacinho de todos os nossos órgãos sofre algum tipo de impacto quando ouvimos uma canção.

Talvez, isso nem seja uma grande novidade, afinal, quem é que não se sente mais feliz quando está ouvindo uma música que gosta? Mais calmo ao ouvir uma balada ou mais estimulado com um rock´n´roll?

Homem ouvindo música enquanto trabalha

Homem ouvindo música enquanto trabalha 

No entanto, você sabia que as notas em harmonia influenciam até mesmo na produtividade em nosso trabalho?

Pesquisa aponta que trabalhadores são mais felizes ouvindo música


Uma pesquisa realizada pela plataforma de marketing digital WebFX chamada “Whistle while you work: Impact of music on productivit” (ou “Assovie enquanto trabalha: Impacto da música na produtividade”, em uma tradução livre), aponta que 61% dos colaboradores ouvem música no trabalho para se sentirem mais felizes e produtivos.

Além disso, 90% dos que trabalham ouvindo música têm uma melhor performance em sua atividade e 77% dos empresários donos de pequenos e médios negócios acreditam que a música é capaz de levantar o astral de sua equipe.

E, por falar na confiança dos empresários no poder de uma canção na rotina de seu negócio, você sabia que o empreendedorismo e a música têm muitas coisas em comum? 

As duas artes começam de uma inspiração


O ato de criar de um artista começa a partir uma inspiração, a vontade de fazer algo diferente. Assim nascem as obras de artes, como a música. Empreender e inovar no mercado também têm início a partir de uma inspiração e, por isso, podemos dizer que o empreendedorismo é, da mesma forma, uma arte que segue uma lógica bem parecida com a que vemos na teoria musical.

Então, assim como um músico, se você é um empreendedor, você também é um artista. Veja só! Você conhece o mercado, as regras, mas tem a vontade de arriscar, combiná-las de forma diferente para encontrar novos caminhos, novos produtos e novas soluções que funcionem em harmonia.

A improvisação mostra suas habilidades


No meio musical, a capacidade de improvisar nos mostra quem é um verdadeiro compositor e o diferencia daquele que apenas reproduz uma canção, ou seja, que é apenas um intérprete.

Pois essa é mais uma coincidência entre esses dois universos, afinal, o empresário precisa saber improvisar para tomar decisões rápidas. Assim como os músicos, o empreendedor pode ter muito domínio sobre a técnica, mas, mesmo assim, pode errar ou ser surpreendido por um imprevisto. Neste caso, o segredo é não desistir e encontrar um meio de entrar de volta no ritmo, retomar o compasso com a sua equipe.

O planejamento é a partitura do empreendedor


Ter grandes habilidades para improvisar não significa que você não precise de um planejamento, assim como o músico também precisa de uma partitura.

Imagine só, seja uma banda de rock ou uma orquestra sinfônica, mesmo que formadas por músicos experientes e excepcionais, precisam trabalhar em equipe, seguindo uma mesma partitura e o ritmo ditado pelo maestro. Seria um grande desastre se cada um seguisse o seu próprio ritmo e tocasse de uma forma diferente. Pois então, o mesmo se aplica aos processos de sua empresa. Pense nisso!

Cada artista tem seu palco ideal


Já falamos sobre o talento, sobre a partitura, o ritmo, os instrumentos, mas sabe o que mais tem uma importância enorme no resultado final de uma apresentação ao vivo? O palco!

Cada cantinho de um teatro específico para concertos é construído levando em consideração o estilo e a qualidade do som que será produzido e reverberado. Até mesmo os novos estádios já são construídos com estruturas preparadas para receberem shows ao vivo.

De qualquer forma, todo tipo de artista tem seu palco ideal. Nem todos têm sua melhor performance em grandes espaços. Por exemplo, a apresentação acústica no estilo “um banquinho e um violão” pode ser melhor no canto de um bar do que num palco extremamente tecnológico preparado para receber grandes orquestras e óperas.

Isso vale também para o artista empreendedor, que precisa encontrar o espaço que proporcione, dentro de seu perfil profissional e de negócio, as condições adequadas para trabalhar melhor e crescer.

Como encontrar seu palco ideal para empreender


Por exemplo, durante a pandemia, o trabalho em home office se tornou uma realidade em muitas empresas e seus colaboradores. Contudo, nem todos se sentiram bem e produtivos trabalhando em casa. Aquele não era o palco ideal para alcançar o máximo de sua performance.

Para esses trabalhadores existe a esperança de ser algo temporário e que voltarão aos seus escritórios quando a recomendação de isolamento social acabar. Na verdade, muitos até já voltaram.

O que acontece com quem não tem seu palco para voltar?


Agora, qual a saída para quem sente o mesmo desconforto no trabalho em casa, no entanto, não tem para onde voltar? Esta é a realidade de muitos profissionais liberais e pequenos empreendedores que são suas próprias empresas, seus próprios empregadores.

Uma boa solução é optar por um espaço de coworking, onde encontram não apenas toda uma estrutura profissional de um escritório, e com investimentos muito mais acessíveis do que montar o seu próprio espaço, como também se deparam com a energia de uma empresa pulsante, respirando inspiração, inovação, convivendo com outros profissionais, trocando ideias, experiências e até fazendo networking.

Se você se reconhece nesse perfil e gostaria de saber mais detalhes de como é o dia a dia e as vantagens de um coworking em São Paulo, como aqui na Mango Tree, leia o nosso post “Home office ou coworking? O que é melhor?” aqui no blog e, se puder, venha tomar um café com a gente!

E se, além disso, esse post te estimular a buscar também a inspiração da música, a Mango Tree fica bem no coração do centro de São Paulo, próximo a lugares muito interessantes como a Galeria do Rock que, inclusive, a partir de agora é parceira oficial da Mango Tree. Já que são dois mundos tão conectados, por que não aproveitar a visita, não é mesmo?